Novo medicamento poderá aumentar a expectativa de vida dos cães em até 5 anos

 

A vida dos cachorros é muito curta em relação à dos humanos e não é fácil lidar com a dor da despedida.

Agora, pesquisadores estão analisando se um novo medicamento é capaz de dar uma vida mais longa ao melhor amigo do homem.

O estudo está sendo realizado na Universidade de Washington, com 32 cachorros de meia idade.

Já foi provado que a rapamicina aumentou a expetativa de vida de ratos, quando usada em pequena quantidade. E, é por esse motivo, que os cientistas acreditam que o medicamento pode ter o mesmo efeito nos cães.

Daniel Promislow, um geneticista do estudo, afirmou:

"Se a rapamicina tiver um efeito similar nos cachorros – e é importante ter em mente que nós não sabemos isso ainda, então um cão grande poderia viver dois ou três anos a mais, e um cachorro menor pode viver 4 anos a mais. (…) Mais importante do que os anos extras, entretanto, é melhorar sua saúde em geral enquanto envelhece, é o que esperamos que a rapimicina forneça."

O objetivo dos pesquisadores é descobrir se o medicamento irá afetar a função cardíaca, o sistema imunológico, a atividade física, peso corporal e medida cognitiva dos cachorros.

Se for bem sucedido, os gatos também poderão usar a rapamicina.

Técnicas para seu vira-lata desistir do seu lixo

 

Normalmente, dispensamos no lixo itens ou partes dos alimentos que não estão aptos para o consumo, além de outras coisas, então, além da sujeira que fica quando seu cachorro mexe no lixo, podem conter itens impróprios para o consumo dele.

Não adianta aumentar a quantidade de ração que você oferece para seu cão ou dar outros alimentos, como frutas e legumes, acreditando que essas atitudes irão desmotivá-lo a mexer no lixo. Uma forma simples de eliminar esse comportamento é impedir o acesso a ele, colocando-o em algum lugar fora da casa, que seja possível fechar a porta ou em alguma parte mais alta. Também é possível utilizar um cesto de lixo com tampa, de algum material não muito leve, dificultando que o cachorro consiga derrubá-lo.

Outra maneira de desmotivá-lo a mexer no lixo é preparar o cesto com algo cheiroso e que não tenha problema caso ele consiga pegar, e ficar de olho no pet à distância. Caso ele vá mexer no lixo, balance uma latinha com moedas dentro, e esse barulho causará um desconforto, diminuindo o interesse em fuçar no lixo. Faça esse ruído com a latinha à distância, se for possível, até em outro cômodo, para que o cachorro não interprete que só não pode mexer no lixo na sua frente, mas sim a qualquer momento.

É importante lembrar que o cachorro também pode mexer no lixo por motivo de tédio, então, proporcionar enriquecimento ambiental com bolinhas ou garrafa pet que dispensam ração é uma forma de mantê-lo entretido e desviar a atenção do cesto.

Texto escrito por Malu Araújo é adestradora e consultora comportamental da equipe Cão Cidadão. Extraído do blog petshopmagazine.

Bugigangas úteis para cachorro

Estava procurando alguns mimos para o Fumaça no site da Alliexpress (www.alliexpress.com) e me deparei com alguns ítens que achei bem interessantes:

  • Coleira com néon: disponível em 5 cores e custa em média R$ 8,00. Vendido por Shenzhen Zstar Technology Ltd. 96,9% das pessoas que compraram aprovaram o produto.
  • Chuveiro para cachorro: R$ 60,71 e vendido por Blue Night 01.
  • Óculos de sol para cachorros: parece com óculos de natação, mas tem em sua lente fator de proteção contra os raios UVB. Os preços variam entre R$ 7,00 e R$ 20,00. 
  • Bebedouro portátil: ideal para levar nos seus passeios com seu pet. Custo entre R$ 10,00 e R$ 15,00.
  • Cinto de segurança para cachorros: os preços variam de R$ 5,00 a R$ 20,00. Particularmente não gosto de passear com cachorros em carros, mas para quem tem esta prática vale pensar também na segurança dos nossos bichinhos.

O que acharam desta seleção? O único ponto negativo é o tempo de espera... leva em média 90 dias para chegar aqui no Brasil.

8 bons motivos para castrar seu cão ou gato

  • Em fêmeas, o procedimento diminui o risco de câncer de mama. E quanto mais cedo, melhor: 99% das cadelas castradas antes do primeiro cio não desenvolvem a doença. Já em gatas, a castração reduz as chances de câncer de mama entre 40% a 60%.
  • Em machos, a castração reduz a frustração sexual e a necessidade de sair em busca de “namoradas”. Ao mesmo tempo, isso diminui o risco de fugas, atropelamentos e brigas com outros machos.
  • As fêmeas não ficam mais vulneráveis a infecções uterinas graves, como a piometra, uma vez que o seu aparelho reprodutor é removido durante o procedimento.
  • Já em machos, reduz-se em grande escala os problemas de próstata e evita-se o câncer de testículo, que pode ser fatal.
  • As fêmeas não entram mais no cio, poupando os tutores de lidar com o sangramento e com possíveis cães de rua importunando no portão. 
  • Cães e gatos machos sentem menos necessidade de marcar o seu território com urina.
  • Seu animal de estimação também pode ficar mais dócil, facilitando a interação e reduzindo situações problemáticas – especialmente entre os que tinham comportamento agressivo antes. 
  • Uma vez que seu cão está castrado, consulte seu veterinário sobre a quantidade de comida que você deve oferecer. Em geral, os animais castrados consomem menos calorias. Ressaltamos ainda que a castração em si não faz os animais engordarem. O que acontece em alguns casos é a redução de atividade física (o animal fica mais calmo), o que o leva a ganhar peso. Basta ficar de olho e não deixar de exercitá-lo.

Se tiver alguma dúvida sobre a castração, recomendamos que fale com o seu médico veterinário. Ele poderá te aconselhar sobre o melhor período para realizar o procedimento e cuidar das necessidades específicas do seu cão ou gato.

Castrar seu animal é um ato de amor. Que tal reconsiderar?

Extraído do blog:  www.tudosobrecachorros.com.br 

Carteirinha de emergência: todo dono precisa de uma

Imagina se você e/ou sua família sai de casa e acontece alguma coisa? Já parou pra pensar o que aconteceria se seus gatos fossem “esquecidos” na sua casa? É sempre bom estar preparado pra tudo.
 
O Tudo Sobre Gatos criou uma carteirinha de emergência pra você manter sempre na sua carteira. Nela você vai escrever o nome, telefone e e-mail de duas pessoas de confiança que podem ser contatadas em caso de emergência.
 
Dica importantes:

  • Sempre deixe uma cópia da chave da sua casa com um parente ou um vizinho de confiança.
  • Mantenha na porta da geladeira um aviso caso seu gato tome algum remédio, com dosagem e horário.
  • Deixe um aviso em local visível caso o gato seja diabético, cardíaco ou tenha alguma doença crônica.
  • Sempre deixe o telefone do seu veterinário de confiança em local visível além do telefone de um Hospital Veterinário 24h.

Texto extraído do blog na íntegra: www.tudosobregatos.com.br

Campanha "Quem ama identifica"

Depois da traumática experiência vivenciada por nossa família em março/15, resolvi realizar uma campanha de conscientização na internet e veterinárias sobre a importância de identificar seu animal de estimação. Essa poderá ser a diferença na localização do seu pet. Infelizmente eu descobri isso da pior forma possível, mas como acredito que coisas ruins acontecem para que você tenha a oportunidade de transformar isso em algo positivo para sociedade, transformei a nossa perda do Thor por esta campanha.

Criei um grupo 4 pet no facebook para divulgar essa e outras campanhas voltadas para adoção, castração e outros meios para melhorar a vida dos animais SRD (vulgo vira-latas).

Caso tenha lido esta seção no blog e tenha gostado, por favor COMPARTILHE com seus amigos. 

Novo membro da família

Fumaça

Confesso que estávamos diante de um impasse se adotaríamos um novo pet após a morte dos nossos adoráveis Thor e Nina. Eles ficaram conosco por 8 anos. Nina morreu de câncer e o Thor foi passear e nunca mais retornou (segundo informações foi atropelado por um carro).

Ester queria muito um outro cachorro, mas nós não estávamos muito animado com a ideia, mas o desejo da nossa filha nos fez mudar de ideia (Graças a Deus).

Estávamos em um grupo de animais perdidos, quando o André viu um cachorro "Frederico" para adoção. Foi amor a primeira vista... liguei para o tutor do cachorro que não podia mais ficar com ele, pois iria para um apartamento pequeno e não poderia manter o animal em sua casa e queria doá-lo para uma família que pudesse amar e cuidar dele.

No domingo do dia dos pais fomos buscá-lo para adoção. Adaptamos novamente a casa para recebimento do nosso cachorro: novo comedouro, readaptamos o bebedouro, compramos uma coleira bem bonita com a placa de identificação. Infelizmente tive que mudar o nome dele, pois Frederico é o nome do nosso sobrinho. Sendo assim Frederico virou Fumaça (rs).

Ele é um cão enorme e adorável. Adora correr pelo quintal com uma bola enorme e sentar no meu colinho com seus delicados 35 kg. Seja bem vindo, Fumaça!!!

Faça você mesmo bebedouro para seu PET

Bebedouro para Pets feito em casa

  • 1 motor de aquário
  • 1 jarra grande de suco com tampa funda e que encaixe virada na boca da jarra
  • mangueirinha de aquário, aproximadamente 30 centímetros
  • água
  • 1 chave Philips ou de fenda para esquentar e furar a tampa, ou qualquer outra coisa que fure sem rachar

Optei pela jarra de suco para economizar furos da saída do fio de energia e da mangueira, que também pode ser feito na parte da tampa para ficar mais firme, como ele ficou bem preso não achei necessário.

bebedouro para gatos diy

Na tampa fiz 5 furos pequenos para escoarem a água deixando que acumule um pouco no reservatório que se forma quando a tampa é invertida. Lembrando que a Mia prefere a água paradinha e o Vincent a água corrente.

Aí não tem segredo, regulei a força do motor no médio pois se deixasse muito forte iria jorrar longe e meu pote não tem espaço para isso, fixei o motor no fundo da jarra, cobri com água, isso é muito importante, o motor precisa estar imerso na água para funcionar, não deixe nunca o nível baixar.

bebedouro para gatos diy

Tudo encaixado foi só ligar na tomada e deixar os gatinhos se divertirem, com uma economia de até 80% do valor de um bebedouro comprado em pet shops, numa rápida pesquisa pela internet o mais barato que achei custava 89 dinheiros. O meu custou pouco mais de 40 .

Texto extraído do blog www.euseidisso.com.br

Dicas para ajudar a localizar o seu pet desaparecido

Seguem algumas dicas que podem ajudar a localizar o seu cão:

1) Coleira com identificação:  Sei que parece óbvio, mas  muitas vezes esquecemos de colocar na coleira dos nossos pets o  nome  do animal, nome do tutor e telefone. Isso é fundamental para ajudar na localização dos animais.

2) Cartazes:  O ideal é ter fotos atualizadas para incluir em cartazes, pois se eles somem de repente fica mais fácil identificar o seu animal de estimação. No cartaz deverá conter: A foto do seu animal, nome, nome do tutor, 2 telefones (indicando a operadora)  e de preferência que tenha aplicativos gratuitos de mensagem (ex. Whatsapp) ou  que você autorize ligação a  cobrar. Vale colocar características do animal que ajude a identificar o seu animal: olhos mel,  puxa de uma patinha e etc.

3) Sites  especializados em sua região:  Ver os sites de ajuda a  animais perdidos em seu bairro.  Isso poderá ser essencial para localizar o seu pet.

4)  Veterinários:  Colocar um cartaz em todos os veterinários, pois caso ele se machuque podem  levá-lo para o veterinário para socorrê-lo e a clínica pode entrar em contato com você.

Espero que vocês nunca passem por isso, mas estas simples dicas podem ser muito úteis a ajudar a localizar o seu pet.

Descanse em paz, Thor

No dia 07 de março o meu cachorro Thor foi passear na praia e não voltou. Ele foi treinado para sair e voltar em no máximo 15 minutos. Como estava demorando muito resolvemos sair a procura dele. O tempo passava e não encontramos o nosso  menino. Meu marido pegou o carro e ficou rodando por quase 2 horas e nada de encontrâ-lo.  Como estava chovendo muito ele resolveu continuar as buscas no dia seguinte. Continuamos as buscas durante o dia inteiro e começamos a  ficar muito apreensivos, pois no dia seguinte tínhamos que trabalhar e  ficamos com medo de aparecer e não ter ninguém   em casa. Pedi   a minha irmã caçula para ficar na minha casa e colar cartazes nos mercados, rodoviárias, postes e etc.

Depois de 1 semana de busca eu recebi uma ligação de uma senhora me avisando que ele tinha sido atropelado. Ela tentou salvá-lo, mas o veterinário orientou a sacrificá-lo, pois já  era um cão idoso. Como ela não sabia quem era o tutor ela ficou procurando pelos sites de busca de cães perdidos. Até que uma  amiga compartilhou a foto e a mulher o reconheceu e me ligou para dar a triste notícia...

Chorei muito  ao saber que o  meu menino morreu sozinho sem o nosso apoio, mas fiquei consolada ao saber que esta senhora estava do lado dele nesta hora. Desta experiência eu pude conhecer pessoas incríveis que se doam totalmente a cuidar destes anjos de patas.

Ainda estou avaliando a possibilidade de ter um outro cachorrinho em  nossa casa, mas agora eu preciso administrar a  perda do meu amado Thor.

A hora do adeus

Quando adotamos um animal sabemos que eles duram em média de 10 a 15 anos, mas confesso que essas horas é muito difícil para mim. Quando descobrimos que a Nina estava com câncer e que já tinha tomado alguns órgãos, comecei e me preparar para a partida dela. Ela iria completar 8 anos conosco e o estado dela era bem grave. No último dia que passamos juntas fiz questão de fazer todos os mimos dela, pois no fundo sabia que seria o último dia que íamos ver. Infelizmente hoje minha cadelinha partiu, mas no tempo que esteve conosco foi muito amada. Ela ficará marcada na infância da minha filha e de todas as crianças que lerão o livro Vira Thor e Lata Nina. Ela adorava balançar na rede e no último dia que ficamos juntas ficamos balançando por muito tempo para ela matar as saudades de quando ela era filhote e cabia na palma da minha mão... Te amo meu amor, descanse em paz!

Equipamentos Úteis

Bebedouro de alumínio

Quando adotamos Thor e a Nina fizemos adaptações importantes na casa. A maior parte delas estão funcionando até hoje. Segue as adaptações que foram mais úteis:

#1 Comedouro: Existem no mercado várias opções de comedouro automático, onde a comida fica guardada em um recipiente e é baixada automaticamente quando o cachorro come a ração.

#2 Bebedouro: Adaptamos uma peça de alumínio a torneira do jardim e toda vez que eles queriam beber água era só tocar no sino e a água caia. Este modelo tinha muitas vantagens: evitava água parada em função da dengue, o cachorro derrubar a água e ficar desidratado e etc. Infelizmente na última obra da casa, esta peça quebrou e só agora que consegui achar a peça de novo. Achei em um petshop no centro do RJ. Veja a foto ao lado. A grande vantagem desta peça  é que a água fica sempre fresca e evita água parada. Veja abaixo como fazer a sua versão D.I.Y para seu pet.

#3 Canil: Fechamos um corredor comprido da casa com 2 portões, onde eles ficam temporariamente lá para entrada e saída de carros ou quando recebemos visitas em casa. Eles gostam tanto do espaço que quando a casa está muito cheia de crianças eles mesmos se escondem lá (rs).

Só queria mostrar que com um pouquinho de criatividade dá para adaptar um local bem agradável para seu animal.

Adoção

Antes de você decidir ser tutor de um animal, você tem que considerar alguns fatores que serão importantes saber antes de receber o animal na sua casa.

#1 Espaço: Todo animal precisa de ter um espaço para ele. Se você mora em apartamento você deverá considerar levá-los para passear de 2 a 3 vezes para fazer as suas necessidades fisiológicas. Você também poderá optar por caixas higiênicas (acho só que é bom para gatos).

#2 Higienização: Não dá para negar que a casa realmente fica com odor forte característico da espécie. Você poderá utilizar um desinfetante especializado (tipo lysol ou similares). Uma outra dica é usar incenso para reduzir o mau cheiro. 

#3 Adestramento: Eu optei por comprar um livro adestramento inteligente para adestrar o Thor e a Nina. Hoje posso dizer que eles são relativamente educados. Não mordem chinelos, não entram na casa e nunca morderam nenhuma criança.

#4 Custo: Você tem que pensar que um animal aumentará o custo com: ração, vacinas, medicamentos e etc. 

Eu não quero desanimá-los a adotar os animais, mas estes assuntos tem que ser levados em consideração para evitar com que os animais sejam abandonados nas ruas. Se após esta reflexão, você perceber que não terá condições de adotar um animal você poderá ajudar órgãos de apoio doando rações, medicamentos e etc.

Espero que estas reflexões o ajudem a decidir. Apesar de todo o aumento do custo eu nunca me arrependi de ter adotado o Thor e a Nina. Eles são meus amores.

Se você fizer as considerações acima e perceber que realmente não pode adotar um animal você ainda tem a opção de ajudar os abrigos que ajudam da melhor forma que podem os animais abandonados. Em Teresópolis tem um abrigo que tem 1400 animais que são mantidos heroicamente por voluntários.