Primeiras impressões de Viena

Aeroporto de Viena

Viena é um museu a céu aberto. Todos os lugares que você olha tem uma escultura para admirar, detahes da arquitetura, jardins e muito mais. Como tínhamos 2 dias inteiros para curtir, decidimos fazer um sightseeing para nos localizarmos melhor para no segundo dia aproveitar o Palácio de Schonbrunn que ficava a 300 metros de onde estávamos hospedados.

  • Periodo de estadia: 06/11 a 09/11/14
  • Temperatura: Mín. 10 graus e máx. 13 graus
  • Hotel: Courtyard Marriot
  • Transporte: Ônibus (Sightseeing) e metrô
  • O que mudaria na viagem? Faria um planejamento melhor sobre a localização dos pontos turísticos, pois a sinalização não é muito clara para turistas.
  • População: A maior dificuldade que tivemos em Viena foi não conseguir tirar dúvidas com os locais. Diferente das outras cidades que visitamos na Europa eles não falam o básico do inglês e também não estavam muitos dispostos a ajudar. 
  • Culinária: Os pães são imperdíveis, struddel e o Wiener (uma espécie de empanado).
  • Ítem que amou ter levado na mala: capa de chuva, guarda-chuva e roupas térmicas.
  • O que sentiu falta? pen drive com desenhos infantis. A TV só passava filmes em alemão e não tinha internet gratuita (achei um roubo pagar € 8,00 no hotel). Só chegávamos para dormir.

Nos próximos posts vou detalhar o que fiz em cada dia na capital da Áustria. Como só tínhamos 2 dias, fizemos um roteiro que não fosse muito cansativo para Ester e que nos agradassem também.

  • Palácio de Schonbrunn

    Este palácio é o melhor custo benefício para crianças. Ele fica próximo ao metrô. Se você não quiser fazer a visita ao palácio, poderá visitar os jardins (sem pagar nada) e ainda visitar o Zoológico, Museum Kinder e Museu da Sissi (ingresso a parte por atração).

  • Esculturas na praça

    Em Viena tudo respira cultura e arte. Tudo é muito limpo e organizado. As pessoas são muito chiques por aqui. Sorte é que tem muito turista largados como nós.

  • Estátua de Mozart

    Fica localizada no jardim que dá acesso ao Museu Albertina. Tem um ponto do metrô que sai dentro do Museu. Não deu para visitá-lo por dentro, mas este me deixou com vontade de visitar a cidade.

Dia 1: Sightseeing

Em frente a Ópera

Perguntei a recepcionista do Hotel quais as opções de Sightseeing e ela me deu um folheto de uma empresa denominada Big Bus. O serviço é divido em rotas. Podendo também comprar passeios avulsos para cidades e países vizinhos (Praga, Salzburg, Bratislava e um passeio pelo Danúbio). No panfleto do Big Bus estava descrito que uma das paradas seria em frente ao Palácio Schönbrunn. Chegamos em frente ao Palácio por volta das 09:30 e não achávamos o Hop on da empresa. Só tinha uma placa de uma empresa Yellow. Compramos o ticket da empresa e nos dirigimos ao ponto de partida da linha escolhida (Red line). Lá eles ofereciam áudio em português, wi-fi grátis e TV para crianças. Só o primeiro ítem foi cumprido!

# 1 Ópera: Pegamos o metrô para o primeiro ponto do Sightseeing, pois optamos pela linha vermelha. Em frente ao local, ficam alguns vendedores de bilhetes de ópera. Ficamos receosos de comprar, pois temíamos se a Ester ia conseguir ficar parada vendo ópera e música clássica por 2 horas. Até que um vendedor nos abordou falando português (misturado com inglês) e me convenceu que ela ia gostar, pois tinha ballet e que tinha um espetáculo mais cedo que iriam muitas crianças. Compramos o ingresso para o dia seguinte... Pagamos € 84,00 pelo ticket meu e do André. Ester ainda não paga ingresso, mas teve que ficar no colo do André. Isso acabou sendo uma vantagem, pois dava para contornar melhor a situação em casos de pane. O traje era casual, mas confesso que em Viena as pessoas andam mais bem vestidas que as demais capitais que visitei. Paramos em um Mc Donalds para comer um lanche até a hora programada para o embarque.

#2: Sightseeing: Fizemos um tour completo e a cidade oferece ótimas opções de lazer, tais como: Museu Albertina, Museu Quartier, Museu de história Natural, Parlamento e etc. Aprendemos várias coisas interessantes sobre a cidade, uma delas foi que Beethoven teve 88 endereços diferentes, pois não era um bom inquilino, deixando aluguéis atrasados e tocando música até altas horas. Como não dispunhamos de muito tempo, decidimos descer na casa de Beethoven, pois achamos que seria interessante para Ester e que não seria muito cansativo. Pagamos € 37,00 pelo ticket familiar na red line.

#3 Casa de Beethoven: Decidimos descer em uma das casas onde ele viveu e compôs suas principais sinfonias. Lá funciona um pequeno museu, onde você sobe até o quarto andar (de escadas) e paga  4,00 por pessoa (criança não paga). Lá você verá um piano, algumas pinturas, litografias e xilografias. Tinha pouca explicação em inglês. Só um cartaz com uma breve explicação. Nos demais espaços tudo estava em alemão. O que eu achei que valeu a visita é que tinham 2 fones de ouvido, onde você segurava em uma tecla e tocava uma sinfonia que ele compôs. Isso valeu a parada!!

Quando olhei da janela, vi que perdemos um ônibus. Aguardamos mais uns 10 minutos e descemos para o ponto de Hop in/hop off. Começou a chover forte e a sorte é que tinha posto na mochila uma capa de chuva para Ester e um guarda-chuva. Como o próximo ônibus viria em 10 minutos ficamos esperando embaixo do guarda-chuva. A chuva apertou e nada do ônibus chegar. Ficamos quase 40 minutos no ponto quando avistamos o nosso ônibus. Só que ele passou na rua paralela e não fez a parada conforme prometido. O próximo ônibus que chegou eu fui para o meio da rua e fiz sinal para ele parar. A funcionária nos abordou em inglês perguntando se tínhamos tickets e mostramos para ela. Ela disse que aquele ônibus não parava onde queríamos e que tínhamos que ter pego o ônibus que tinha passado há 10 minutos atrás. Ai não prestou eu comecei brigar com a mulher em português e sai invadindo o ônibus.

Paramos na estação de metrô e voltamos direto para o hotel exaustos, irritados e com muita fome. Fomos dormir mais cedo, esperando de um dia melhor...

Dia 2: Palácio de Schönbrunn e Ópera Palais Auersperg

Palácio de Schönbrun

#1 Palácio de Schönbrun: Resolvemos fazer o Imperial Tour (roteiro menor) para não cansar muito a Ester. Pagamos  35,00 pelo ticket familiar. O palácio é muito lindo e possui uma boa infraestrutura para turistas. Possui visita guiada em áudio em vários idiomas (optamos pelo espanhol, pois não tinha em Português). Lá aprendemos um pouco mais sobre a história Austríaca, a trajetória do Imperador Franz Joseph, sua esposa Sissi e a sua famosa filha Maria Antonieta (rainha de França que foi decapitada na revolução francesa). Infelizmente não é permitido tirar fotos na parte interna do palácio. O jardim do palácio é muito lindo, com muitas esculturas, um lago com patos e um pórtico onde pode pegar um elevador para ver a vista da cidade. Este passeio deveria ser pago separadamente. Resolvemos dar uma parada para almoçar e descansar no hotel para a Ópera mais tarde. Ester adorou o palácio! Ouviu o áudioguide e entendeu o que estava sendo dito, pois fazia perguntas de acordo com o que estava sendo explicado. Fiquei impressionada com o bom comportamento dela. Seguem algumas dicas que podem te ajudar a não perder tempo e aproveitar melhor o palácio.

Dica: Compre ingresso pelo totem (tem vários dentro do local de compra do ticket e dentro do palácio). Tem a opção de compra em espanhol e inglês. A fila para comprar no caixa estava gigantesca. Isso nos poupou no mínimo 40 minutos de fila.

# 2 Ópera Palais Auersperg: Pegamos o metrô e nos dirigimos ao local indicado. Chegamos com muita antecedência e ficamos aguardando o início do espetáculo. O local era lindo e tiramos muitas fotos e vídeos. Só o espetáculo é que não pode ser fotografado ou filmado. O espetáculo durou cerca de 2 horas com um intervalo de 10 minutos. Quando os músicos começaram a tocar fiquei muito emocionada. O espetáculo tinha: ballet, ópera e instrumental. Além da Ester só tinha um outro casal com 3 crianças... Morremos de medo dela começar a gritar e falar que era chato ou algo do tipo. Ela se comportou muito bem. Voltamos no metrô e fizemos uma parada para jantar na nossa última noite em Viena. 

Conhecemos pessoas legais que nos ajudaram e fizemos as pazes com a cidade (rs). No outro dia partiríamos de trem para Salzburg.

  • Ópera

    Esse foi um dos locais que todas as noites eles apresentam 2 espetáculos de ópera. Ocorreu tudo bem com a Ester, mas acho que é um programa muito caro para arriscar a ir com crianças pequenas. Morremos de medo dela começar a correr pelo teatro ou começar a falar alto dizendo que o programa era chato.

  • Último jantar em Viena

    Achamos um restaurante perto do Hotel que tinha um preço razoável, uma comida deliciosa e um atendimento impecável. A dona falava palavras soltas em inglês, mas se virava para entender o que eu queria. Um brinde as nossas pazes com a cidade!

  • By Viena

    Partimos de Viena para Salzburg de trem ãs 10 horas da manhã. A previsão de chegada em Salzburg é 12:58h.
    Não deu para visitar os Museus. Fiquei com vontade de conhecer o Albertina, Museum Quartier e a roda gigante no Prater.

O que não deu para aproveitar em Viena

Como visitamos a cidade no Outono infelizmente não foi possivel realizar as seguintes programações:

  1. Zoológico - Tinhamos visitado o Zôo de Berlim e como ficaríamos somente 2 dias em Viena, resolvemos curtir as programações locais.
  2. Museu Kinder e Museu da Sissi- Devido ao tempo perdido com o Sightseeing, ficamos com pouco tempo para aproveitar o Palácio de Schönbrunn. 
  3. Roda gigante do Prater - Fiquei muito tentada para conhecer o parque, mas quando li na internet os tipos de brinquedos, acho que os mesmos não eram adequados para a idade da Ester.

Para ir a Viena, recomendo baixar o roteiro do metrô e planejar um roteiro, pois isso otimizará o seu tempo na cidade.